Maddiba: “já estamos compondo algumas letras em português” – Entrevista exclusiva
07/04/2021 | Por

Com a incrível repercussão a respeito das bandas que fazem música de protesto, o Maddiba é a nova entrevistada para falar a respeito da sua história, sonoridade, cenário nacional, etc. Aproveitem pra conferir a matéria relacionada a seguir:
Hardcore: 10 bandas que ainda sabem fazer músicas de protesto no Brasil

Pedro Hewitt – Conte um pouco sobre como surgiu o Maddiba.

Maddiba – Opa! vamos lá. O Maddiba surgiu em meados de 2016, quando os brothers Lucas Viana (DJ e Baixo) e Tchel Caron (Guitar e Vocal) decidiram iniciar o que seria um projeto de RAP/Hardcore. Para isso precisariam de um batera que curtisse esses 2 estilos, então chamaram o velho amigo Renan Pigmew para assumir a batera. Vale lembrar que no inicio éramos em 4, quando o nosso amigo Ronnie fazia a parte do DJ, porém depois de uns 2 ensaios o mesmo decidiu sair e se dedicar a outros assuntos com música.

Pedro Hewitt – Na banda vocês contam com o Lucas nas pick ups e baixo. Isso é algo que chama muito atenção, pois em ambas as funções ele traz bastante identidade ao som. Como é desempenhar essas duas responsabilidades? Um desafio sempre, mas depois de um tempo tudo virou um instrumento só, totalmente imperativo como eu (risos).

Maddiba – As musicas são todas calculadas para que isso dê certo, acho que se não fosse o Tchel e Renan serem compreensivos e abertos isso nunca teria dado certo.


Pedro Hewitt – Vemos muita influência de bandas como Beastie Boys, Dog Eat Dog e Suicidal Tendencies no som de vocês. Mas quais seriam as influências nacionais?

Maddiba – Ratos de Porão, Violator, Statues on Fire, Kamau, RZO, música da macumba.

Pedro Hewitt – Vocês pensam em escrevem letras em português?

Maddiba – Sim, podemos falar que ultimamente estamos pensando fortemente em fazer algo um português. Até posso soltar aqui que estão saindo algumas letras ai.

Pedro Hewitt – Vocês foram vistos como uma das grandes revelações do Canal Scena. Como foi pra vocês participar do programa?

Maddiba – Primeiramente nós ficamos muito felizes pelo convite, o pessoal do Scena tem uma importância pesada na nossa “Scena” brasileira, revelando várias bandas e dando oportunidades para nós do Maddiba mostrarmos o nosso som. A experiência foi top, todos da equipe do Scena são pessoas da melhor qualidade, nos deixaram muito a vontade. Podemos dizer que o nosso Live deu uma divulgada muito foda pra gente que vemos até hoje resultados disso.

Pedro Hewitt – Em tempos sombrios, o Maddiba tem uma mensagem de resistência clara. Vocês acreditam que é necessário que as bandas se posicionem politicamente?

Maddiba – Olha eu acho que é importante, ainda mais nessa vertente de som que tocamos Rap/Hardcore onde são movimentos que foram criados para falar a verdade, botar o dedo na ferida, e se posicionar. Hoje do nosso lado posso falar que essa necessidade de escrever algo referente a resistência é até natural, pois grande parte das letras inclusive da música Power falamos sobre isso, do poder que temos na mão para mudar as coisas, e o nosso poder do lado do Maddiba é a música.

Pedro Hewitt – Falem um pouco sobre os dois lançamentos de vocês, o EP Ayanda e o álbum cheio Santo André.

Maddiba – Bom, o Ayanda lançamos em 2017, e foi uma experiência muito incrível logo de inicio. Primeiro pois foi um desafio entrar em estúdio e misturar os sons, e segundo pois não sabíamos qual seria a reação do pessoal em geral. Quando foi lançado acho que na terceira semana já participamos do programa Pegadas de Andreas Kisser na 89fm, então vimos que havia rolado uma aceitação legal e que podíamos seguir em frente para lançar um Full que viria em 2020.
Já em 2020 nesse ano terrível por conta da pandemia , tivemos essa realização de um sonho antigo e enfim conseguimos soltar nosso álbum completo chamado Santo André, em homenagem a cidade onde a banda foi iniciada. Podemos falar que estamos tendo feedbacks muito legais mesmo, de várias partes do Brasil e do Mundo. Uma pena que ainda não conseguimos fazer o show de lançamento por conta da pandemia.

Pedro Hewitt – Vem mais som por aí?

Maddiba – Com certeza, já temos umas 10 músicas no rascunho. Queremos pegar outras influências sonoras do Brasil e aplicar ainda mais no som do Maddiba, então quem sabe venham coisas em português ai, hein!

Pedro Hewitt – Obrigado pela atenção, esse espaço é de vocês!

Maddiba – Bom, para finalizar, obrigado vocês pelo espaço, isso aqui é muito importante para bandas como nós do Maddiba contarmos um pouco sobre nós, o que esperamos do futuro, e creio que isso só aumenta a cena que a gente ama tanto.
Então fica aqui o nosso abraço e se cuidem nessa pandemia, esperamos que logo seja possível estarmos todos juntos fazendo show e curtindo o role!
Abraços!

Fotos promo por Marcelo Cedeno
Foto no Family Mob por Canal Scena

Para mais informações, shows e merchandise:
https://www.facebook.com/maddibaband/

Deixe uma resposta

Apoiadores
Próximos Eventos
Ver todos os eventos
Leia Também
Segunda música do primeiro trabalho cantado em português traz influência de Alexisonfire em meio ao hardcore denso e agressivo Com músicas em português e...
Faixa dos cariocas será lançada em 28 de Julho com um videoclipe   Os cariocas da banda Evil Motor, projeto formado em 1994 e...
Banda de São José dos Campos ergue a bandeira do antifascismo Contra o fascismo...
Material conceitual tem previsão de lançamento para Novembro   Um novo nome do cenário...
Parceiros
OSBOX
Siga o Detector de Metal

Unable to display Facebook posts.
Show error

Error: Error validating access token: The user has not authorized application 1332798716823516.
Type: OAuthException
Code: 190
Subcode: 458
Please refer to our Error Message Reference.