CDs | Immensity – Omminous (MS Metal Records, 2020)
26/01/2021 | Por
Omminous Heavy Metal

Em algum momento você já se questionou sobre a vida, sobre o tempo, o espaço ou já tentou se conhecer melhor por meio de alguma corrente filosófica. A música é uma ótima forma de levantar essas questões espirituais de autoconhecimento, mas fazer isso exige muita sensibilidade e estudo, características que nem todos os músicos estão preocupados. Nessas horas é preciso separar os amadores dos profissionais. A humildade de estar buscando sempre se autoconhecer foi o que inspirou o quarteto da banda cearense Omminous a estrear na cena heavy metal de Fortaleza com o grandioso Immensity, disco lançado em julho de 2020 nas plataformas digitais e agora em novembro no formato físico. O disco está sendo distribuído pela MS Metal Records por todo o mundo e já conta com vendas na Europa e no Japão. “Também tivemos o privilégio de estar em várias playlists importantes no Spotify, como a do atual guitarrista do Megadeth, Kiko Loureiro, que é brasileiro e colocou a nossa música ‘Behind All The Consent’ entre as suas favoritas do metal nacional”, revela o vocalista Lenine Matos.

Junto com Lenine, a banda também foi fundada por Yago Sampaio (guitarra), George Rolim (baixo) e Diego Vidal (bateria), em 2018, após a saída dos quatro de uma outra banda na qual faziam parte. “Na antiga Coldness nós tínhamos uma pegada mais existencialista. Quando montamos a Omminous, Lenine, Yago, Diego e eu resolvemos por em nossas músicas uma outra corrente filosófica, mais ligada a busca pelo autoconhecimento para o desenvolvimento espiritual individual”, explica o baixista George Rolim. Atualmente, apenas Diego Vidal não está mais no grupo e João Felipe, de 15 anos, assumiu as baquetas da Omminous.

Mesclando a sensibilidade das letras, mensagens profundas e melodias acompanhadas de muita técnica, o disco Immensity abre com a já clássica Behind All The Consent, uma faixa que convida o ouvinte a mergulhar para dentro de si mesmo. Na sequência vem Vile Maxim, uma faixa que apresenta uma das melhores composições de teclado e trabalho vocal de todo o disco. “Por ser uma música mais cadenciada e tão chamativa e original quanto a Behind All The Consent, nós escolhemos a Vile Maxim para ser a música do clipe que estamos produzindo para o próximo ano“, revela o vocalista Lenine Matos.

Grandes álbuns de heavy metal exigem grandes músicas, daquelas fortes candidatas a se tornarem obrigatórias em todos os shows, e é isso que ocorre com Black Sun, a faixa mais longa e mais épica do Immensity. Com muitos solos de guitarra, de baixo e viradas de bateria, a Black Sun é aquela faixa que vai do insano ao técnico progressivo. A sexta música, Tunnel To The Underworld , que é toda produzida por samplers e teclado, encerra a primeira metade do trabalho.

immensity-omminous
Arte da capa de Immensity. (Foto: Divulgação)

O álbum também se mostra bem versátil e com influências das mais variadas vertentes do rock. Enquanto que em Into Decay temos uma pegada mais rock clássico com toques de hard rock, sua sucessora Overcasting Skies nos apresenta um verdadeiro power metal com o teclado trazendo todo o seu peso. Destaque também para Lenine Matos que, em meio a frases rápidas, ainda conseguiu encaixar diversos agudos que formam o refrão e a melodia, partes que contrastam com o peso dos teclados.

As faixas Sideral Death e Master of Disguise são fortes e trazem riffs marcantes do guitarrista Yago Sampaio, o homem que prova a não obrigatoriedade do uso de duas guitarras em uma banda de heavy metal. Não é à toa que Master é de sua autoria e ele tá voando nesse final do disco. O vocalista Lenine Matos também assina algumas músicas, sendo elas Why? e Breakthrough, esta última sendo um momento solo do vocalista cantando acompanhado apenas de um teclado no fundo. O disco finaliza com Immensity, faixa que dá nome ao álbum e que, segundo George, serve como um grande fechamento. “Ela é como se fosse a Behind All The Consent depois da experiência, uma espécie de condensamento dos conceitos. Enquanto a Behind é uma faixa que mostra como as coisas podem se dar para você chegar naquela evolução, a Immensity mostra o depois da experiência de autoconhecimento”, explica George Rolim, baixista e principal letrista da banda.

 

O que vem em 2021

Além do já confirmado videoclipe de Vile Maxim, a Omminous também anuncia que será lançado um lyric video da faixa Prisoner of a Present Time, previsto para sair no primeiro trimestre de 2021. No último show realizado no estúdio Esconderijo, em 5 de dezembro, o quarteto teve todo o seu merchandising vendido. “Todas as nossas camisas foram vendidas e também houve muita procura pelos CDs. Já mandamos renovar o estoque de camisas e teremos mais CDs disponíveis nos próximos shows”, explica Lenine. O disco pode ser adquirido nas lojas Planet CDs (galeria Pedro Jorge, no Centro), Jazigo Loja & Distro (Benfica) e diretamente com a banda pelas redes sociais. Quanto aos shows, a Omminous é a forte candidata a abrir para o Angra, famosa banda de heavy metal nacional que deverá tocar em Fortaleza em agosto, se progredirmos quanto ao combate a covid-19.

Formação

Lenine Matos – Vocal

Yago Sampaio – Guitarra

George Rolim – Baixo

João Felipe – Bateria

Instagram: @omminousofficial/ | Facebook |

Contato: contato.omminous@gmail.com

Deixe uma resposta

Apoiadores
Próximos Eventos
Ver todos os eventos
Leia Também
Novo single foi gravado no Dharma Studios com produção de Rodrigo Oliveira...
"Tales From the Bag" está disponível nas plataformas de streaming e terá versão física pela Marquee Records...
Apostando no metal tradicional, "Dogs Like No Clowns" foi lançado no Brasil pela Death...
  Afiada, intensa, enérgica. A sonoridade apresentada pela banda baiana Sofie Jell conjuga todos esses requisitos,...
Parceiros
OSBOX
Siga o Detector de Metal