CDs | Antichrist Reborn – The Troops Of Doom (Voice Music, Alma Mater records, Nuclear Blast/Blood Blast Distribution, 2022)
02/05/2022 | Por

A importância e pioneirismo do grupo mineiro Sepultura são inquestionáveis. Já nos anos 1980 a banda trazia uma sonoridade e impacto únicos e inéditos no Brasil até então. Seus primeiros dois trabalhos “Bestial Devastation” (1985) e “Morbid Visions” (1986) apresentam o que posteriormente seriam vistos como os pilares para que o Death Metal tenha chegado ao ponto que chegou durante a década de 1990. Uma das forças do grupo naquela época foi o guitarrista Jairo “Tormentor” Guedz, que deixou a banda após a divulgação de seu primeiro album e por muito tempo ficou afastado dos holofotes musicais até 2020, quando decidiu reunir ótimos nomes do metal extremo nacional e fundar o The Troops Of Doom (nome vindo de um dos maiores clássicos do Sepultura quando Guedz ainda o integrava), lançando então dois excelentes EPs “The Rise Of Heresy” (2020) e “The Absence Of Light” (2021) e agora, em 2022, seu primeiro album completo “Antichrist Reborn”.

O trabalho é rodeado por referências muito sagazes, indo desde o nome que faz alusão a outro sucesso do Sepultura com Jairo nas guitarras “Antichrist”, junto da data de lançamento do disco (15 de Abril, uma sexta-feira Santa) e até mesmo a arte de capa, criada por ninguém menos que Sergio “AlJarrinha” Oliveira, criador da capa do EP Bestial Devastation, que a fez totalmente a mão, com a mesma paleta de cores da arte de estréia dos gigantes brasileiros e idealizada de forma que fosse vista como uma continuação da arte original. Algo muito curioso é ver que a arte de capa do trabalho tem autoria do mesmo artista que criou a capa de um dos primeiros trabalhos de metal extremo do Brasil (e, por que não, do mundo!) em uma banda onde o guitarrista (Marcelo Vasco) é atualmente um dos grandes nomes da ilustração de capas para discos de metal (dentre alguns de seus trabalhos, destaco a arte do disco “Repentless” do Slayer de 2015 e as reedições de diversos discos do Testament em 2017), mostrando esse belo encontro de gerações na área de arte gráfica.

Não só o disco, mas a proposta do grupo de modo geral, é resgatar o death metal old school dos anos 1980, porém com todos os recursos e equipamentos de gravação e produção dos dias de hoje, trazendo de forma nítida toda a brutalidade que se queria atingir na época, com uma boa captação de audio e mixagem. Há quem diga que tal polimento sonoro irá tirar a crueza e rispidez que as músicas da época tinham (devido a má qualidade de equipamentos e produção), porém a forma com a qual o trabalho é escrito e a maneira com a qual as músicas são executadas mostram como todas aquelas bandas veteranas poderiam soar milhões de vezes mais brutais caso pudessem usufruir de recursos técnicos mais avançados e acessíveis como os que temos atualmente.

A violência com que as músicas são executadas trazem a nostalgia dos grupos pioneiros, mas de uma forma tão nítida de brutalidade que esse resgate acaba por ser uma ótima referência, mas não soa como o cerne central do trabalho, que apresenta muita originalidade e visceralidade sem perder a essência oitentista, mas com muita influência da atualidade e fazendo jus ao legado que se propõe a continuar, sem se nivelar por baixo e se colocando a nível dos melhores e maiores nomes do death metal mundial atual. Outro ponto altíssimo no trabalho é a participação de João Gordo (Ratos de Porão) na faixa “A Queda”, única cantada em português no disco e remetendo as influências de Hardcore e Punk que o próprio Sepultura tinha na época (vale lembrar das imagens de Max Cavalera com camiseta do grupo Discharge e Igor Cavalera com camiseta do grupo Dead Kennedys) e representando o ódio puramente brasileiro que a banda pode passar.

Recomendadíssimo para fãs de medalhões como Morbid Angel, Death e (claro!) Sepultura, para quem busca por violência sonora e muitas referências a clássicos com roupagem totalmente atual e visceral!

OUÇA O DISCO NO SPOTIFY

Tracklist:
1 – Dethroned Messiah
2 – Far From Your God
3 – Altar of Delusion
4 – Grief
5 – Pray Into The Abyss
6 – The Rebellion
7 – Deserters From Paradise
8 – Apocalypse MMXXII
9 – A Queda (c/ João Gordo)
10 – Preacher’s Paradox

Lineup:
Jairo “Tormentor” Guedz – Guitarra
Alex Kafer – Baixo e vocal
Marcelo Vasco – Guitarra
Alexandre Oliveira – Bateria

SIGA A BANDA NO:
Facebook
Youtube
Instagram

Deixe uma resposta

Apoiadores
Próximos Eventos
Ver todos os eventos
Leia Também
A missão de Thaís Lyrica em seu EP de estréia “ECILA” é aliar magia a conceitos retrofuturísticos visando dar vida ao metal melódico do...
  Pandemia perto do fim e a Rygel segue produzindo material! A bola da vez se chama “The Struggle”, sobre “a estória de um...
  A SQQ Rockids é uma banda de rock voltada ao público infantil e...
“Wild Kiss” mescla de hard rock, blues e funk americano, e vídeo dirigido por...
Parceiros
OSBOX
Siga o Detector de Metal