Duas noites do Rock in Rio com os veteranos do rock
25/09/2017 | Por
Aerosmith no Rock in Rio

Texto: Simone Garrafiel

Foram noites repletas de clássicos, novos hits e homenagens! O Detector de Metal esteve presente na edição 2017 do Rock in Rio e traz para vocês o que rolou por lá, no Palco Mundo, nos dias 21 e 23 de setembro.

Quem participou do evento nestas datas pôde conferir a performance dos veteranos Aerosmith, Def Leppard, The Who e Guns N´Roses. Além deles, os brazucas do Scalene, os dinossauros do Titãs, os californianos do Incubus e o pop punk do Fall Out Boy também fizeram parte do line up. Confere o que cada uma das bandas trouxe para seus fãs!

21 de Setembro
Aerosmith
O show mais esperado da quarta noite do festival não decepcionou os fãs. Steven Tyler, Joe Perry e demais integrantes do Aerosmith mostraram porque estão há 50 anos na estrada! O quinteto americano apresentou um
set list recheado de clássicos, incluindo “Love in a Elevator”, “Livin on The Edge”, “Cryin”, que foi acompanhada pelo coro da plateia, e a emocionante “I Don´t Wanna Miss a Thing”. Para abrir o tradicional bis, Tyler levou a multidão ao delírio, sentado ao piano, para cantar “Dream On”. Ao longo do show, que durou pouco mais de duas horas, Steven Tyler esbanjou simpatia e irreverência, enquanto Joe Perry executou solos memoráveis. Sem dúvida alguma, o Aerosmith confirmou seu perfil de banda legendária e apoteótica.

Aerosmith no Rock in Rio

Fotos: Fernando Schlaepfer, da I Hate Flash!

 

Def Leppard
Após mais de 30 anos, o Def Leppard voltou ao Brasil e arrepiou os fãs, com um show em comemoração aos 30 anos de lançamento do álbum Hysteria. O set list, claro, trouxe grandes clássicos, mas também foram apresentadas músicas novas, como “Man Enough”, do último álbum lançado pela banda, em 2015. De 1987, a música “Pour Some Sugar on Me” foi cantada a plenos pulmões pelos fãs, assim como as músicas “Hysteria” e “Animal”. Outro ponto alto do show foi o solo de bateria de Rick Allen que, mesmo tendo perdido um braço, em um acidente de carro, em 1985, continuou a tocar, superando qualquer expectativa negativa quanto à continuidade de sua carreira. Sem dúvida alguma os fãs foram recompensados após muitos anos de espera pelo retorno dos caras ao Brasil.

Def Leppard no Rock in Rio

Fotos: Marques, da I Hate Flash!

 

Fall Out Boy
O Fall Out Boy tocou pela primeira vez no Brasil e colocou o público para cantar. Mesmo com a fama de ser uma banda “emo”, mostraram que sabem cativar uma plateia e trouxeram um show que agradou os presentes. O set list foi baseado no seu último álbum American Beauty/American Psycho, lançado em 2015, mas também foram tocados hits como “Sugar, We´re Going Down” e “Dance, Dance”, de 2005. Até mesmo um cover do clássico de Michael Jackson, Beat It, estava no hall de músicas do show, assim como “Champion”, inédita que está no álbum Mania, que será lançado ano que vem. Foi um show competente e cumpriu a missão de preparar o público para os medalhões que subiriam no palco na sequência.

Fall Out Boy no Rock in Rio

Fotos: lucassa e Olivetti, da I Hate Flash!

Scalene
A banda Scalene abriu os shows do Palco Mundo, na noite do dia 21, mas apresentou um show frio e com som muito estourado, o que dificultava que se entendesse as letras das músicas. Ainda assim, os oito anos de estrada da banda permitiram ganhar a atenção do público. O set list foi centrado nas músicas do álbum lançado neste ano, intitulado
Magnetite. Entre as canções estavam Distopia e Cartão Postal. Músicas de trabalhos anteriores também foram tocadas, como Entrelaços, quando o vocalista, Gustavo Bertoni, pediu que todos acendessem as lanternas dos
seus celulares. Mesmo com um repertório não muito conhecido, os garotos do Scalene mostraram que podem representar o rock brasileiro.

Scalene no Rock in Rio

Fotos: Paixao e Wilmore, da I Hate Flash!

 

23 de Setembro

Guns N´Roses
O Guns N´ Roses entrou no palco surpreendendo: começou o show sem atraso e fez uma apresentação de três horas e meia, trazendo muitos dos hits que fazem os fãs pirar. Os primeiros acordes de “It´s so easy”, seguidos de “Mr Brownstone” já anunciavam que vinha muita coisa boa pela frente. E veio. Axl Rose, Slash e Duff McKagan trouxeram um Guns veterano, com solos competentes e um set list de tirar o fôlego. “Nightrain”, “You Could Be
Mine”, “Patience”, “Don´t Cry” e, claro, “Welcome to the Jungle” e “Sweet Child O´Mine” estavam entre as mais de 30 músicas executadas naquela noite. A banda também fez uma homenagem a Chris Cornell, vocalista do Soundgarden, falecido no início deste ano, cantando a música “Black Hole Sun”. Até mesmo “The Seeker”, cover dos antecessores The Who, foi cantada. Para fechar a overdose musical, a tradicional “Paradise City” encerrou com chave de ouro a sexta noite do festival.

Guns n Roses no Rock in Rio

Fotos: Diego Padilha, da I Hate Flash!

 

The Who
A espera por um show do The Who foi longa, mas, finalmente, eles aportaram no Brasil e fizeram um espetáculo memorável. O vocalista Roger Daltrey e o guitarrista Pete Townshend esbanjaram simpatia e profissionalismo, empolgando os fãs e quem mais estava na Cidade do Rock. No repertório, não podia faltar a balada “Behind Blue Eyes”, que puxou um lindo coro da plateia, assim como “Baba O´Riley”, um dos maiores sucessos da banda. Foram mais de duas horas de show e a cada introdução das músicas, ouvia-se os gritos de empolgação da plateia, reafirmando que o rock clássico ainda tem espaço no cenário musical.

The Who no Rock in Rio

Fotos: Fernando Schlaepfer, da I Hate Flash

 

Incubus
Com poucas palavras e muita música. Assim foi o show do Incubus, banda norte-americana de rock alternativo. O vocalista Brandon Boyd parecia estar bem à vontade, mesmo diante de um público pouco empolgado, e cantou as músicas mais conhecidas da banda, como “Anna Molly” e “Pardon Me”. Canções do novo álbum, intitulado “8”, completaram o set list.

Incubus no Rock in Rio

Foto: Olivetti, da I Hate Flash!

Titãs
O Titãs não requer apresentações e, como era de se esperar, abriu a sexta noite do Rock in Rio fazendo o público cantar e pular com seus clássicos, principalmente com “Bichos Escrotos” e “Polícia”. A banda fez um bom passeio por sua discografia, tocando também “Sonífera Ilha”, “Televisão”, “AA UU” e “Cabeça Dinossauro”. A surpresa ficou por conta da execução de três músicas que fazem parte de uma ópera-rock que será lançada no próximo ano, entre elas, a intitulada “Doze Flores Amarelas”. Conhecida por suas críticas sociais, nas letras e nos discursos, desta vez a banda se limitou a falar, antes de tocar “Desordem”, que a referida música poderia ter sido escrita nos tempos de hoje. Em outro momento, mandou breve recado aos políticos, antes de encerrarem o show, com “Vossa Excelência”.

Titãs no Rock in Rio

Fotos: Yoshioka, da I Hate Flash!

 

O Detector de Metal gostaria de agradecer imensamente à Approach Comunicação pelo credenciamento de dois dias do Rock in Rio! Sem sombras de dúvidas um grande passo foi dado e tenham a certeza que iremos melhorar cada vez mais as coberturas do DM. Obrigado àqueles que acompanharam os vídeos na fã page e as fotos postadas na hora. Juntos, somos mais fortes!

Deixe uma resposta

Próximos Eventos
Ver todos os eventos
Leia Também
Hoje vamos conversa um pouquinho com o Gleison dos Santos vocalista de uma das bandas mais ativas do cenário underground cearense nos últimos anos....
O novo clipe do ENCÉFALO irá estrear neste domingo, 24, durante sua apresentação no festival Beheading of Gods. O evento irá ocorrer no Praxedes...
A banda sueca GRAND MAGUS irá lançar o seu 8º disco “Wolf God” no...
Entrando na divulgação do novo disco “Surrounded By Decay”, gravado em janeiro deste ano,...
Parceiros
Burn Artworks
Siga o Detector de Metal